Observatório Social Em Revista - Edição 15 - Devastação da Amazônia

Madeireiras que operam ilegalmente, funcionários públicos corruptos e grupos empresariais ligados direta ou indiretamente a esquemas criminosos estão na base do processo de devastação da Floresta Amazônica. A madeira oriunda de empresas que desmatam vai parar na casa de consumidores de todos os continentes, da América do Norte à Ásia, da Europa à Oceania. Em dezenas de países, o que é retirado ilegalmente da floresta torna-se matéria prima na construção civil e em diversos ramos da indústria. 

A derrubada clandestina, o beneficiamento e o comércio de uma árvore seguem conhecidas rotas de ilegalidades e crimes ambientais, fiscais e trabalhistas. Diversas organizações da sociedade civil ligadas à proteção do meio ambiente e órgãos do governo admitem que boa parte da madeira originária da Amazônia é retirada de forma ilegal e sofre um processo de “esquentamento” até chegar ao consumidor final.

Com a reportagem "Quem se beneficia com a devastação da Amazônia" finalista no Prêmio Esso de Jornalismo na categoria Informação Científica, Tecnológica e Ecológica, esta edição de Observatório Social Em Revista apresenta o resultado de uma profunda investigação sobre empresas que financiam a devastação da Amazônia. Nove meses de investigação jornalística resultaram na apuração de provas que mostram como funcionam as redes de negócios implicadas em crimes ambientais e trabalhistas.

 

Data e Hora: 
06/01/2009 15:30 2009
Tipo de publicação: